Domingo, 6 de Maio de 2007

Pensamento do dia

                   


                    Quis ver até onde ia a estupidez humana. Conclui que não tem limites.
sinto-me: Benne
música: Combustão Espontânea de SK6

publicado por Notasenroladas às 14:21
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Janeiro de 2007

Justiça civil um olhar preocupante

     Muitos dos leitores deste blog não sabem a situação da justiça neste pais pois ou não se interessam ou os meios que facultam essa informação não são de fácil acesso.

     A minha actividade e o meu interesse originam que tenha consciência da situação da justiça neste pais.

    Na ultima quarta feira dia 17 de Janeiro tive a oportunidade de assistir a um colóquio/ debate acerca da Justiça Civil e fiquem a saber questões que me deixaram deveras preocupado. Assim a nível nacional em 2004 havia 1.200.000 de processos pendentes só no civil, não esqueçamos que estamos a falar de um ramo do Direito, depois há o Penal por exemplo ( também com deficit ), o único célere era o Direito do Trabalho. Todos os anos entram 900.000 processos mas os nossos Juízes só conseguem resolver 800.000 processos por ano assim há um deficit de 100.000 anuais o que origina que, caso não tenha existido um aumento, exista em 2007, 1.400.000 de processos pendentes.

   A culpa não é dos nossos juízes pois em média decidem anualmente sensivelmente mais de 300 casos o que é uma media muito boa se comparada com os nossos colegas Europeus. Na minha opinião até acho que é uma média elevada demais. Como é que um Juiz pode estar em tribunal a ouvir testemunhas e a tomar atenção aos casos em julgamento se tem 3 metros de altura de papelada no gabinete para dar sentença, é impossível dar toda a atenção a quem necessita, os cidadãos, que é para quem trabalham os magistrados.

   Outro aspecto é que 80 por cento dos processos que dão entrada nos tribunais são valores de divida irrisórios ( dividas ás empresas de telecomunicações , cartões de credito etc  ) que entopem o sistema, o que origina que os nossos Juízes sejam cobradores de dividas.

    Um processo em Portugal seguindo os tramites legais demora em media 2 anos a ir à barra do tribunal, isto caso não haja nenhum atraso processual por parte dos intervenientes.

    Após o que enumerei acho que o problema não é humano, temos Juízes suficientes e que despacham em quantidade excessiva , temos 60.000 funcionários nos nossos tribunais, parece-me o suficiente, podem é estar mal distribuídos .

    O problema é processual, temos que acabar com a morosidade da Justiça nos seus mais diferentes aspectos, primeiro tirar as porcarias que entopem os Tribunais, se emprestam o dinheiro e dão as facilidades que fiquem também com as responsabilidades. Temos que conceder prazos de julgamento, pois é inconcebível que certos caso demorem mais de 5 anos a serem julgados mas primeiro temos que desocupar os gabinetes dos Juízes senão não podemos exigir prazos.

   Ao fim ao cabo o principal é retirar as dividas do sistema de justiça pois isso iria desanuviar o sistema mas para que tal acontecesse era necessário que os Bancos e as Empresas proibissem os créditos a quem os não consegue pagar ( pessoas com 2 ou 3 créditos pendentes não deveriam ter mais por exemplo ). Era fácil de fazer. Ou então optar por um sistema extra-tribunal que tenha poderes para resolver estes casos denominados inferiores, por exemplo fixava se um valor mínimo de ida ao tribunal caso fossem aspectos relacionados com crédito. Ou então ver-se qual o aspecto positivo no Direito do Trabalho, pois este está a ser dinâmico na resolução dos casos, e aplicá-lo ao Civil.

    Este Sistema Judicial tem quer ser alterado porque qualquer dia há uma situação para resolver em tribunal e nem no nosso tempo de vida teremos um sentença.

    


publicado por Notasenroladas às 11:01
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Terça-feira, 16 de Janeiro de 2007

Cabora Bassa mais um mal negócio

     Este acordo já foi feito há algum tempo mas só agora e que o analisei , não tem problema algum pois vamos resolver uma questão que há muito devia estar resolvida. O problema é os valores em questão, menos de metade do real valor da enorme obra que este pais fez nos confins de África e a forma de aplicação destes valores, ridículo . Ainda por cima temos de partipar no concurso para os geradores.  Adiante noticia do DN para vossa analise:

O acordo assinado ontem entre o Estado português e Moçambique relativo à transmissão da maioria do capital da Hidroeléctrica de Cahora Bassa (HCB) vai gerar uma folga adicional que não está prevista na proposta de Orçamento do Estado para 2007, uma vez que, segundo apurou o DN, a imprevisibilidade quanto ao desfecho desta operação levou o Governo a adoptar uma atitude prudente na contabilização desta receita extraordinária.

A receita de 950 milhões de dólares (750 milhões de euros) vai ser abatida ao valor da dívida pública portuguesa. Significa que o Governo pode utilizar estas verbas para reduzir as necessidades de financiamento da economia em 2007, endividando-se menos durante esse ano e, por essa via, sobrecarregando menos o défice público, que o Governo pretende manter abaixo de 3,7% do PIB em 2007. No entanto, não foi possível precisar a dimensão da folga financeira.

Certo para já é o efeito nulo do "perdão de dívida" (da HCB ao Estado português), que actualmente ronda 1,9 mil milhões de dólares (o dobro face ao valor recebido) sobre o valor do défice. Foi, aliás, esta questão que conduziu ao atraso da formalização deste acordo, já que o Governo português teve de garantir previamente junto do Eurostat que a operação não ampliava o desequilíbrio das contas públicas. A solução passou por considerar esta operação como uma privatização da HCB, interpretando o "perdão da dívida" como um saneamento das contas da empresa.

Os 750 milhões de euros encaixados com a transmissão da maioria do capital de Cahora Bassa para Moçambique, que passa a deter 85% da segunda maior barragem do continente africano, deverão ser pagos em várias tranches, durante 2007, podendo o Estado moçambicano solicitar um prazo adicional de seis meses desde que, até essa data, tenha já pago metade do valor em causa.

A actual administração da empresa vai manter-se em funções até que a transacção esteja concluída. Portugal, com uma participação de 15%, continuará a ter direito a nomear dois administradores. Caso reduza para 10%, nomeará apenas um.

Aumento das tarifas essencial

A primeira tranche é de 250 milhões de dólares e será paga com as receitas geradas pelo aumento das tarifas cobradas pela hidroeléctrica ao seu principal cliente, a África do Sul. Segundo explicou Mira Amaral, que desde o início de 2002 liderou o grupo de negociação com os moçambicanos, a actualização das tarifas para níveis de mercado (ver gráfico), permitiu à empresa gerar receitas a partir de 2004. Desse ano até agora, a HCB registou receitas de 500 milhões de dólares. Foi esta receita que permitiu a realização de um importante investimento de manutenção e reparação na hidroeléctrica e é daqui que virá a primeira tranche de 250 milhões a pagar a Portugal.

Direito de preferência

Portugal, com este acordo, vai ter direito de preferência em novos projectos do sector eléctrico em Moçambique, nomeadamente na futura expansão da HCB dos actuais cinco para oito geradores. "Teremos de participar em concurso, mas existe um direito de preferência", concluiu Teixeira dos Santos.

sinto-me: Com vontade de rir

publicado por Notasenroladas às 13:38
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 14 de Janeiro de 2007

Cooperação e ajuda a Paises subdesenvolvidos

              

         Muitos de vocês ficam escandalizados quando um Pais ajuda outro com um valor exorbitante mas não sabem que desses valores atribuídos só um valor mínimo é que é aplicado no terreno.

        Num contrato de cooperação são definidos certos pontos e habitualmente o pais que atribui a verba coloca certas condições.

        A mão de obra especializada é sempre do pais cooperante, paga a valores exorbitantes, como os  veículos e demais maquinaria, tudo material topo de gama assim como os bens necessários para a implementação do projecto.

      Após tirar essa verbas todas os valores que realmente se investem no terreno são exíguos atendendo os valores anunciados. Calcula-se valores na ordem de 35 portento .

     Será que cooperação não é antes interesse?


publicado por Notasenroladas às 12:13
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Janeiro de 2007

Dizeres Populares

     " Antes chamarem-te Alma do Diabo que coitadinho "

    " Vais buscar um molho de mato quando os outros já de lá vêm "

    

                Para a vossa análise profunda

publicado por Notasenroladas às 11:10
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 3 de Janeiro de 2007

O Pesqueiro

       Uma das actividades que mais sofre neste pais é a pesca. O mar português é tão grande em tamanho como em predação. Numerosos gatunos vêm aqui sacar peixe o que origina que os nossos acabem muitas vezes a labuta diária com os porões vazios . Entre andar sempre com os porões vazios muitos mestres preferem arriscar, foi o que aconteceu no caso do acidente. Devido à falta de pescado o mestre optou por pescar na zona da rebentação onde o ouro do mar, o robalo, passa. Daí originou a desgraça que se viu. Não condeno o mestre pois arriscou mas neste caso demais.

     Condeno é que os helis estejam todos sediados no Montijo e que antes de levantarem tenha que ser feita uma inspecção. Não percebo nada de aeronáutica mas acho que a inspecção pode ser feita quando o helicóptero chega para ter um grau de prontidão mais rápido.

      Outro aspecto a ter em conta é que o Instituto de Socorros a Náufragos diz ter um grau de prontidão de 24 horas mas não paga horas extraordinárias ( para rir ). Claro que muitos salvadores chegam as 17 horas e vão para casa, pudera levam para casa 600 euros e ainda se sujeitam a morrer no mar. Atenção que há salvadores que tem um sentido de ajuda ao próximo e realmente dão tudo mas como podemos exigir que uns dois ou três indivíduos estejam num posto 24 horas? Impossível . No Ferragudo há um posto e sabem quantos homens estão lá? Dois ouviram bem DOIS, imaginem o que é estarem 24 horas de serviço e saírem para o mar, um vai salvar as pessoas todo cansado o outro toma conta do barco sozinho e se for preciso tem que ir à agua. Claro que dá bronca, passa de um barco em perigo para dois. Ridículo .

     Isto precisa de ser alterado. Chega de miséria


publicado por Notasenroladas às 14:09
link do post | comentar | favorito
|

Inveja neste Pais

       

       Existe neste pais uma mentalidade de critica e de inveja em relação ao que é dos outros. Uma pessoa compra um bom carro é logo, veio da droga, como é que conseguiu , deve ter roubado. Não interessa de onde veio, esse é um problema das pessoas, se devem ao banco ou se estão encalacrados é um problema pessoal e quem tem inveja que lute para ter igual.

    Temos de ver que habitualmente quem critica são pessoas que não fazem nada pela vida levam-na despreocupada e sem stresses e não visualizam que as pessoas que vão buscar os bens lutam por eles ou tem coragem de se endividarem.

    Pessoas com um orçamento ridículo não podem almejar ter um BMW, tem que se contentar com o que podem atingir mas se querem dar o salto lutem, vão estudar, mandem CVs para outras empresas, tomem coragem e abram um negocio ou então em vez de serem uns parasitas no trabalho esforcem-se mais.

   Há muita gente que se esforça para atingir os seus desejos mas parece que tudo lhes corre mal, é a sua sina, o azar persegue-os, a esses realmente tenho que admitir que tenho pena. São pessoas lutadoras mas se calhar falta-lhes a inteligência ou as oportunidades mas esse é um problema pessoal não colectivo.

     O problema colectivo é a ideia generalizada em muitos nichos da nossa sociedade que se as pessoas têm os bens é porque advêm de um negocio ilícito . Acho que isso não nos diz respeito, Eu até fico feliz que os meus conhecidos e amigos tenham as coisas que almejam mas quando vem com historias que sua vida está mal digo-lhes logo que não me interessa, problema deles. Realmente é um problema deles se tem um carrão e vivem mal não me interessa nada, só fico feliz por eles o terem. Como o têm, só diz respeito a Eles.

    À minha pessoa aplicasse o seguinte, prefiro que tenham inveja de mim do que Eu dos outros.

sinto-me: Bem

publicado por Notasenroladas às 12:03
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 1 de Janeiro de 2007

Soares da Costa ganha concurso mundial

       O final de 2006 acabou por ser beneficio para economia nacional pois uma empresa Portuguesa ganhou um concurso mundial.

      O Governo Israelita, colocou a nível mundial um concurso para a construção de um metro em Telavive. Este metro tem uma característica muito interessante pois tem uma parte à superfície e outra no subsolo, ou seja é um trabalho de engenharia e construção muito exigente. Por acaso sabem quem ganhou este concurso? Foi um grupo internacional com forte influencia de uma empresa portuguesa mais concretamente a Soares da Costa. Este concurso foi ganho porque esta empresa apresentou um projecto aliciante e com um valor mais baixo.

    Temos de ter atenção que este projecto é o mais caro projecto publico da historia de Israel e dará ao consorcio  MTS ( à Soares da Costa ) os direito de exploração a partir do momento do inicio da construçao pelo período de 22 anos. O Governo Israelita vai investir através de subsídios mil e trezentos milhões de euros neste projecto que tem três vertentes construção , operação e transferência .

   Podemos dizer que a Soares da Costa está a colaborar com o lobby sionista mas que interessa isso? O que interessa é que uma empresa portuguesa está num grupo que ganhou um concurso muito importante e com uma vertente financeira muito atractiva que de certeza trará benefícios ao pais.

  Acabámos o ano com uma boa noticia, fico feliz por isso.


publicado por Notasenroladas às 18:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2006

Mensagem para 2007

  Estamos a chegar ao fim de mais um ano. O 2006 vai ficar caracterizado pelas numerosas falências e da mudança de grandes grupos para outros países . Porque razão tal aconteceu?

  Os incentivos fiscais acabaram assim como os contratos de produção. Tudo tem um fim e correctamente os Empresários vão para outro pais onde tenham condições mais aliciantes de investimento, Eu faria o mesmo. Também vão à procura de países com Ivas mais baixos e de mercados mais virgens.

  Podem dizer que o nosso Governo devia ter feito outros negócios para puxar investimento para Portugal mas quem quer investir neste pais? Só um otário. Têm a Eslováquia que tem um ordenado mínimo inferior ao nosso e o grau de eficiência e de educação é mil vezes superior. Ainda por cima fica no centro da Europa.

  Mas a resposta ao grande problema que se está a revelar provêm do pensamento generalizado que existe nos empregados. Vivem em função de um contrato de efectividade, trabalham que nem uns cães para o sacarem e quando o tem na mão ficam a viver à sombra da bananeira. Costumo ouvir dizer, comeste-me a carne agora comes-me os ossos. Começa a bandalheira, deixa de haver responsabilidade e de haver produção. Claro que há excepções . Nos grandes países este tipo de organização laboral não existe. Não há contratos vitalícios por isso não há parasitismo, há produção . Os bons trabalham e muitos deles são Portugueses que cá eram um parasitas e lá fora trabalham a sério, são produtivos. O sistema de trabalho de Portugal tem que convergir para o existente nos grandes paises , peca é pelo atraso.

 Chega o principio do ano e sabem qual a primeira coisa que muitos funcionários deste pais fazem? Vão buscar um calendário para verem os feriados e as pontes para marcarem as ferias. Onde se vê isto? Com este pensamento não vamos a lado nenhum. Admito que muita gente não quer esforçar-se porque não se sente recompensada. O problema é que se não alterarem a maneira de pensar este pais não anda para a frente. Se Eu fosse estrangeiro nunca investiria neste pais, é só pontes, é só greves, é só sindicatos, é só parasitagem , assim nunca.

Já viram a quantidade de sindicatos que existem? Imensos.  Ainda por cima só lixam o funcionário, vão fazer greves, não ganham o ordenado e o sindicato não os compensa em nada. Na Alemanha (podia dar outro exemplo) raramente há uma greve, mas se tal acontecer sabem quem paga o dia de trabalho? o Sindicato, à pois é e cá descontam para que? Para que os dirigentes dos sindicatos parasitem.

 Para que Portugal ande para a frente e estamos com pequenos sinais que tal irá acontecer, é preciso que deixemos de nos acomodar de nos encostar. Temos que nos esforçar mais.

  A mentalidade portuguesa tem que mudar, deixámos o Marxismo, vivemos num capitalismo desenfreado e temos que nos adaptar, apesar de ser dificil , sob risco de desaparecermos.      Para tal acho que o Governo tem de canalizar o maximo de recursos para a Educação pois esta mentalidade tem que ser alterada.

 O meu desejo para 2007 é que todos se esforcem mais.


publicado por Notasenroladas às 11:57
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 21 de Dezembro de 2006

Questões pertinentes sobre Portugal

 Admito que as medidas que o governo está a tomar são necessárias para tentar endireitar este paraíso à beira mar plantado, a questão é que pecam pelo atraso ( dez anos no mínimo ) e pela violência . Somos um pais que anda atrás dos outros e passámos directamente do sector primário para o terciário ao contrario da maior parte dos países civilizados. Este facto originou que não tenhamos adquirido os  hábitos de consumo o que origina que não saibamos fazer bem as contas e gerir bem o orçamento. Os pequenos e médios empresários  sempre viveram no deixa andar e de um dia para o outro entra um governo que quer endireitar isto nuns três anos enquanto isto precisa de vinte para atingir os patamares exigidos. É inspecções sobre os coitados que claro tem muita coisa não certa mas por culpa de quem? por culpa dos anteriores governos que deixaram esta republica das bananas ficar no estado de demência  total. Se o Estado continuar a controlar tudo como tem feito e não desapertar um pouco o cinto acreditem que isto vai estourar e as poucas pequenas e medias empresas que estão a dar lucro irão fechar. Vamos na rua é só lojas fechadas, tudo falido, tudo estoirado parecem cidades fantasmas, reparem. Ainda há pouco tempo tudo funcionava.

  Ontem estive nas finanças a resolver problemas e desabafei com uma funcionaria, estava indignado pois para resolver uma coisa simples tinha que levar meu contabilista e a senhora concordou que isto parece um campo de concentração , as malhas a apertarem e nós enredados nesta teia fina onde cada vez mais trabalhamos só para pagar os impostos e o que sobra serve para pagar as multas e demais confusoes que advêm deste apertão tão forte. As regras são necessárias mas tem que se analisar o Pais e os hábitos que existem,  para se tomarem certas medidas é necessário algum tempo. 

 

sinto-me: Revoltado LOL
música: The Funk S.U.N. PROJECT

publicado por Notasenroladas às 19:21
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2006

Economia em Portugal

   Tenho uma maneira de estar que origina que seja um individuo muito questionador. Por tabela quem muitas vezes sofre são os meus professores e há dois que Eu sobremaneira coloco em xeque com as minhas duvidas, são os professores de economia. Não conseguem nunca dar uma resposta coerente, contornam sempre as questões, exactamente como os economistas que vão à televisão não explicam nada e não conseguem dar respostas a nada. Os meus professores só servem para explicar as regras da Economia nada mais.

  Somos um pais pequeno, não podemos exigir que tenhamos muitos grandes nomes, mas de tempos a tempos vão surgindo grandes individualidades que colocam seus trabalhos em revistas de renome internacional à excepção de economia. Digam lá um nome de um grande economista nacional com projecção internacional?

 Dai que o nosso pais esteja nesta situação . Fiz há algum tempo a questão . Professor imagine que o preço do petróleo seria cotado em euro? Ele- É impossível a opep nunca faria tal coisa e nunca aceitaria que um membro o fizesse. Disse o meu professor no principio do ano lectivo, olha o Irão. Outra pergunta, Professor estamos a ir para o buraco, que maneiras temos de fugir? Ele- Apostar no Turismo, nos nichos de mercado que temos e na finança, somos os 4ºs da Europa em termos de desenvolvimento financeiro. Alguma vez podemos concorrer com os colossos? LOL .

  Infelizmente minha analise é muito pessimista, adoraria estar errado.

  Ai se explica porque estamos assim. Falta-nos economistas a sério.


publicado por Notasenroladas às 11:08
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2006

A grande fadista Mariza

 Nunca fui um grande apreciador de fado apesar de considerar a sua estrema importância para a cultura portuguesa e para a identidade nacional.

Uma pessoa que via com grande amiúde no amoreiras e achava super esquisita era  a fadista Mariza , com aquela altura, com aquele aspecto e aquela maneira de cantar fado nunca imaginaria que ela conseguisse atingir o que atingiu. Li que ela deu um concerto no Royal Albert Hall o que só por si representa a enorme importância da Mariza , visto ter sido o primeiro artista portugues  a actuar nesta sala com 130 anos. Atenção que não é qualquer pessoa que canta no Royal Albert Hall, até os Ingleses são seleccionados . Felizmente o concerto teve imenso sucesso.

Podemos não gostar de fado, podemos não gostar da maneira como a Mariza canta o fado, podemos não gostar dela mas uma pessoa que faz o que ela tem feito tem que ser elogiada e reconhecida, pois está a fazer um bem elevado à cultura portuguesa.

Obrigado Mariza

música: Canoas do Tejo

publicado por Notasenroladas às 12:23
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 6 de Dezembro de 2006

Analise da paternidade actual

   Até ao final do mês de Outubro fui proprietário de um estabelecimento comercial ligado ao ramo da restauração, vulgo uma Pastelaria. Aí tive a oportunidade de ver comportamentos humanos que muito favoreceram a minha analise da vida em sociedade mas uma das questões que me deixou mais impressionado foi a chantagem que as crianças fazem com os pais. No meu estabelecimento tinha vários produtos que influenciavam o sentido consumista das crianças, a maquina das bolas, os chocolates, a prateleira com as batatas fritas, os bolos, os gelados etc etc . A questão é a seguinte, as crianças queriam consumir mas quem tem o capital são os pais, vai dai o puto pedia qualquer coisa e o pai habitualmente dizia não , porque não comeste o almoço, porque te portas mal, porque estás de castigo mas acham que os putos se ficavam por esta nega? Não, começavam a fazer um berreiro, a chorar e após uns quantos minutos de luta familiar o bem ia parar à mão dos pirralhos. Ao principio Eu ainda condenava tal atitude pois achava que quem mandava eram os putos e dar o bem demonstrava uma fraqueza por parte da entidade com poder. Pensava Eu - Se fosses meu filho nem sabes o que te fazia, otários quem manda é o puto etc etc . Após uma analise da situação cheguei à conclusão que os pais tem que agir assim.Temos que compreender que o pouco tempo que estão com as crianças e para existir uma harmonia e esse tempo não deve ser para negar coisas aos putos para se chatearem, bem basta o dia a dia de esforço e de trabalho para nos chatear, porque iremos estragar o pouco tempo que temos para estar a usufruir de paz e bem estar com berreiros e conflitos?

Está tudo correcto e não convêm desperdiçar o tempo com confusões , trabalhasse para quê? Para dar coisas, bem estar e para aproveitar os poucos momentos de relaxe .

O problema é o futuro das crianças pois as coisas boas acabam e há de haver a altura de voar pelas próprias asas e ai? Como irão reagir as criancinhas? Acho que será super difícil um jovem encaixar uma nega pois ao longo da infância tal nunca aconteceu. Chegar a um sitio e levar uma nega, o que infelizmente acontece com muita frequência . O futuro é termos uma geração depressiva e levada ao suicídio .

Deixo este post para vossa analise


publicado por Notasenroladas às 11:58
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Terça-feira, 5 de Dezembro de 2006

Geraçao vinte e tal trintas

Fomos os primeiros a nascer neste pais já democrático, e fomos, continuamos e seremos quem mais paga e sofre com esta democracia portuguesa.

Fomos a Geração rasca, a primeira de adolescentes e pós adolescentes que lutaram pelos seus direitos, já longe das utopias politicas da anterior geração. Já conscientes que o rumo deste pais seria (como foi e é) uma venda e cega submissão ao que a união europeia diz decreta e ordena. Lutávamos pelo ensino publico igual para todos e justo, (as propinas, as provas globais fora de contexto etc.) e o que ganhámos foram insultos dos mais velhos e já instalados, muito embora hoje concordem connosco, (exames nacionais desajustados e por isso repetidos, propinas de quase duzentos contos etc. .).

O etc. é o trabalho. Somos agora a Geração Recibo Verde. Trabalho precário mal pago e sem sombra de regalias é o que temos.

Na altura dizia-se do governo do sô Cavaco Silva, e após isso ainda se continuou a dizer que foram tempos de prosperidade que o pais mudou a olhos vistos, que Portugal era o bom aluno da Europa e por ai adiante, e acredito que sim que tenha sido, mas quem ganhou com isso foi quem já estava instalado e quem se estava a instalar: Feder, fundo social europeu, manás onde todos chuchavam, mas o futuro do pais foi esquecido a Europa fechou a torneira e os primeiros a pagar fomos nós que temos vinte e tal trinta anos.

Muitos de nós nem esperanças têm, morreram antes de tempo, destruídos pelo cavalo e pela coca ainda antes de serem gente

Os Belmiros continuam a chorar que o salário mínimo é muito alto e que qualquer aumento pode levar empresas à falência , os Jardins continuam-nos a acenar com dinheiro, empréstimos com condições irrecusáveis , e como sempre quem se lixa somos nós. Antes ignorados agora explorados.

Falam de crise, mas só pensam na próxima hora, esquecem amanhã, e nós não seremos diferentes.

Um dia a nossa geração estará no poder, e como sempre ir-se-á esquecer do amanhã, do futuro desacautelado, pois que como muitos de nós não temos perspectivas de futuro, outros nasceram com uma mão por baixo, e serão esses que irão enrabar os nossos filhos, da mesma maneira que nos enrabaram a nós.

Nem democracia, nem fascismo, nem sequer comunismo, este pais já há muito está condenado.

 

MORTE AO PODER!


publicado por Notasenroladas às 17:43
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 3 de Dezembro de 2006

As velhas raizes

 Sempre fui punk ou sempre me identifiquei como tal, devido às contingências da vida houve momentos que me afastei dessa influencia mas o som sempre ficou. Passados 10 ou mais da loucura maior dou por mim à cata do som que ouvia na altura, à descoberta do som que gravávamos nas cassetes e rodava a n pessoas e chegava com um som péssimo mas não importava porque a concepcão de vida era mesmo assim, as noticias rodavam de boca em boca, ouviasse som com um ou mais anos de atraso, sabiamos de concertos através de um amigo ou através de outdoors no Bairro Alto ou então nas Discotecas da Altura, as melhores a Carbono e a do Palladium nos Restauradores. Tive a oportunidade de ver ao vivo as bandas que ainda hoje me criam uma certa nostalgia mas passados estes anos todos ainda ouço, os Censurados, os Alcoore (hoje consegui arranjar uma maquete deles gravada em 1992 e que já tinha tido mas pelas contiguencias da vida tinha perdido, foi a evolução da net que me o permitiu ),  X-acto, Crise Total, Inkisi ão , Subcaos , Peste & Sida old school etc etc. Quem não se lembra da Juck Box na Rua da Pretas e os memoraveis concertos, lá ao vivo e a cores vi Doom, No More, Abbollition bandas que ainda tenho os Vinis. Foram grandes tempos cheios de adrenalina e bom espirito pois havia a amizade e o companheirismo, o ser humano não era individualista como hoje. Ainda hoje dou por mim a ir a concertos dentro do estilo que me identifico mas já com menos afluencia pois o espirito ja não é o mesmo. Bem chega de saudosismos e deixar-lhes o link da maquete de Alcoore, vão ouvir os que gostam  http://www.sinfonias.org/Memoria/Alcoore/

sinto-me: Nostalgico

publicado por Notasenroladas às 13:16
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 8 seguidores

.Novembro 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Pensamento do dia

. Justiça civil um olhar pr...

. Cabora Bassa mais um mal ...

. Cooperação e ajuda a Pais...

. Dizeres Populares

. O Pesqueiro

. Inveja neste Pais

. Soares da Costa ganha con...

. Mensagem para 2007

. Questões pertinentes sobr...

.arquivos

. Novembro 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Janeiro 2009

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

.tags

. todas as tags

SAPO Blogs

.subscrever feeds